Rui Oliveira vice-campeão europeu de eliminação

Rui Oliveira deu esta terça-feira um final de luxo à participação portuguesa no Campeonato da Europa de Pista, em Glasgow, Escócia, conquistando a medalha de prata na disciplina de eliminação.

propedalar.com @ 7-8-2018 15:00:16

Rui Oliveira

Rui Oliveira

O gaiense entrou em pista com mais 18 corredores, que teria de ir eliminando para chegar ao pódio. Nas primeiras voltas, Rui Oliveira esteve um pouco expectante, mas foi ganhando confiança e deixando para trás rival atrás de rival.

Depois de eliminado o polaco Szymon Krawczyk, que ficou com a medalha de prata, a pista ficou entregue a Rui Oliveira e ao britânico Matthew Walls. Com as bancadas a gritarem em apoio ao corredor da casa, o ciclista português deu tudo para conquistar o título, mas teve de render-se à superioridade do adversário, que chegou mais folgado à corrida desta terça-feira, enquanto Rui Oliveira teve ontem um dia muito desgastante, acumulando 75 quilómetros em pista, na disciplina de madison.


Pódio Eliminação

Pódio Eliminação

O segundo lugar representa a subida de um degrau na hierarquia europeia, uma vez que, na edição de 2017, Rui Oliveira foi o terceiro classificado. Eliminação é uma disciplina de boa memória para Rui Oliveira que, também em 2017, foi campeão europeu sub-23 desta disciplina. A medalha agora conquistada no Velódromo Sir Chris Hoy é a sétima da carreira de Rui Oliveira, que, aos 21 anos - completa 22 em setembro - já subiu ao pódio em juniores, em sub-23 e em elite.

“Ao início não estava muito confiante, porque as pernas estavam a ressentir-se do esforço brutal de ontem, 300 voltas à pista em madison. Pouco a pouco fui eliminando alguns corredores e a confiança foi crescendo. Quando estávamos cinco ou seis ciclistas em pista, percebi que poderia ir às medalhas. Lá fui eliminando adversários, mas o ciclista da Grã-Bretanha estava mais forte. O segundo lugar é um grande resultado”, regozija-se Rui Oliveira.

“Houve momentos da corrida em que estivemos em situação em que poderíamos ser eliminados. Normalmente, os atletas gerem a corrida de forma a gastar apenas aquilo de que necessitam para não serem eliminados, é preciso um controlo muito fino da técnica em pista. Em algumas situações estivemos na iminência de eliminação. O Rui foi percebendo que estava a correr riscos demasiados. Após uma fase inicial intensa e contínua, quando a corrida entrou numa fase mais intermitente, nós conseguimos entrar melhor na corrida. O britânico foi mais forte, temos de dar-lhe os parabéns. Nós temos o Rui no segundo lugar com muito mérito”, resume o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

propedalar.com @ 7-8-2018 15:00:16