Campeão mundial de fundo Rui Costa com receção entusiástica no Porto

Cerca de mil pessoas receberam hoje Rui Costa no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, Porto, no regresso a Portugal do campeão do mundo de fundo. Vestido com a camisola arco-íris, o ciclista poveiro foi vitoriado de forma entusiástica por uma multidão em que eram muitas as crianças vestidas com os equipamentos das respectivas equipas, respondendo ao apelo da Federação Portuguesa de Ciclismo para que assim se apresentassem.

UVP-FPC @ 21-10-2013 12:02:27

Recepção a Rui Costa

Recepção a Rui Costa

“Já me tinham recebido aqui após as vitórias na Volta a Suíça, mas o que hoje se passou nada tem a ver. Esperava muita gente, mas o que aconteceu foi impressionante. Havia muitas pessoas cá em baixo, mas também chamavam por mim nos outros pisos”, disse, emocionado, o corredor. Não foi só entre os adeptos que o título de Florença mudou alguma coisa. “No seio do pelotão internacional, quem veste esta camisola é mais respeitado”, confessou.

Entre os muitos populares que o esperavam, Rui Costa também foi recebido pelos pais e pelo irmão, Mário Costa, assim como pelos dois ciclistas que formaram o trio luso na prova de fundo do mundial de Florença, André Cardoso e Tiago Machado. “A vitória não foi apenas minha, foi também do André, do Tiago, do seleccionador, José Poeira, e do presidente, Delmino Pereira, além de todo o staff da seleção”, frisou Rui Costa às dezenas de jornalistas presentes na conferência de imprensa realizada no auditório cedido pela administração do aeroporto.

O campeão mundial admitiu que 2013 “foi o melhor ano da carreira. Venci a Volta à Suíça, duas etapas no Tour, o Campeonato Nacional de Contrarrelógio. O Campeonato do Mundo foi a cereja no topo do bolo”, resumiu o ciclista.

André Cardoso e Tiago Machado também estiveram presentes na conferência de imprensa, tendo o primeiro destacado “a importância da vitória no mundial para o ciclismo português, pelo exemplo dado às novas gerações”, que estiveram muito representadas entre a multidão que aguardou pela chegada de Rui Costa. Tiago Machado confirmou que, no interior do grupo de trabalho, afirmou, dias antes da prova de fundo do mundial, que “a camisola arco-íris seria portuguesa”. Explicou que não se tratou de um pressentimento, mas da constatação da grande classe de Rui Costa. 

UVP-FPC @ 21-10-2013 12:02:27

Galeria de fotos


Clique aqui para ver mais sobre: Ciclismo, Desporto, Competições e Classificações