João Almeida e Daniela Campos campeões de contrarrelógio em elite

João Almeida (Deceuninck-Quick-Step) e Daniela Campos (Bizkaia-Durango) são os novos campeões nacionais de contrarrelógio na categoria de elite, impondo-se nas provas disputadas na manhã desta sexta-feira, em Vila Velha de Ródão. Fábio Fernandes (Efapel) ganhou em sub-23.

propedalar.com @ 18-6-2021 18:28:17

Fabio Fernandes

Fabio Fernandes

Os homens enfrentaram o percurso mais longo, 30,5 quilómetros. João Almeida foi o mais veloz nos dois primeiros pontos intermédios, colocados aos quilómetros 9,6 e 20,9. A superioridade foi crescendo com o avançar da prova.

Na meta, cumpridos 30,5 quilómetros, João Almeida registou 36m20s, sendo o único corredor a baixar da fasquia dos 37 minutos, graças a um contrarrelógio cumprido a uma média superior a 50 km/h. Rafael Reis (Efapel), depois do segundo posto no exercício individual da Volta ao Algarve, voltou ao lugar mais agridoce de uma corrida, sendo o vice-campeão nacional, com mais 54 segundos do que o vencedor. José Neves (W52-FC Porto) fez uma prova constante, conseguindo bater Nelson Oliveira (Movistar Team) – que “desligou” no último terço – na luta pela terceira posição. O corredor da W52-FC Porto gastou mais 1m13s do que o vencedor.

“É a minha primeira vitória como profissional. É indescritível, estou muito contente, ainda mais por levar a camisola lá fora. Tem outro sabor como elite. Foi um percurso duro, sem muitos pontos de descanso. A parte final era menos difícil, mas era preciso andar bem. A faltarem sete ou oito quilómetros, sabia que tinha 40 segundos de vantagem. Estava tranquilo e dei o meu máximo. Foi muito bom e adequa-se também à preparação para os Jogos Olímpicos”, explica João Almeida.

Entre a elite feminina esperava-se uma luta acesa entre Daniela Campos e Maria Martins (Drops-Le Col), mas a ribatejana não alinhou, devido a um problema mecânico detetado pouco antes da partida. Assim, a algarvia teve campo aberto para dominar a corrida de 19,2 quilómetros.


Daniela Campos e Joao Almeida

Daniela Campos e Joao Almeida

Daniela Campos, no primeiro ano de sub-23, não deu qualquer hipótese à concorrência, terminando com 29m25s, menos 1m27s do que Ana Caramelo (ATPLINE_União Ciclista de Ponte da Barca) e menos 1m35s do que Liliana Jesus (Team Farto-BTC), que completaram o pódio.

“Ser campeã nacional é uma sensação muito boa. É o meu primeiro ano no escalão de elite, por isso é sempre muito bom conseguir a camisola. As sensações foram boas, tenho vindo a trabalhar desde uma paragem forçada e estou muito contente pela vitória. Sabia que podia fazer um bom resultado e o contrarrelógio é uma especialidade de que bastante gosto. Estava a apostar no pódio. A prova de fundo, no sábado, é o próximo objetivo, um dos mais importantes”, confessa Daniela Campos.

Os sub-23 masculinos cumpriram os mesmos 30,5 quilómetros do que os corredores de elite. Fábio Fernandes, em estreia nesta categoria, depois de ter conquistado o título de juniores em 2020, foi o mais forte.

O corredor da equipa sediada em Águeda cortou a meta com 39m45s, sendo o único sub-23 a fazer menos do que 40 minutos. O segundo classificado foi Miguel Salgueiro (LA Alumínios-LA Sport), a 24 segundos. O terceiro, a 55 segundos, foi Diogo Barbosa (Hagens Berman Axeon).

“É bom ver todo o trabalho que realizamos ao longo do ano dar frutos. Já tinha sido bicampeão nacional de juniores, mas ingressar num novo escalão e conseguir logo esta conquista é uma sensação ainda melhor. Tinha uma ligeira noção do que poderia fazer, vinha com ambição do pódio, mas ganhar é ainda mais especial. Espero que seja o início de uma grande fase e consiga dar o salto que ambiciono”, regozijou-se Fábio Fernandes.

A manhã competitiva iniciou-se com o contrarrelógio de paraciclismo, que coroou dez campeões nacionais. Os ciclistas com deficiência cumpriram 19,2 quilómetros.


Campeões Nacionais de Paraciclismo

B - Ana Silva e Isabel Caetano (Descobre Destreza Associação Desportiva)

C1 - Bernardo Vieira (Efapel Paracycling)

C2 - Telmo Pinão (Efapel Paracycling)

C3 - Paulo Teixeira (Rodabike/ACRG/Gondomar)

C4 - João Monteiro (Mozinho RT Martos Pellets Offorsep)

C5 - Hélder Maximino (360º Bike Trail/Mundimat/CC Aldeia Paio Pires)

D - André Soares (Mato Cheirinhos/Vila Galé/Etopi)

H3 - João Pinto (Belmira Cruz/CC Portimão/Mirachoro Hotels)

H4 - Flávio Pacheco (Santa Cruz/Botelhos.pt)

H5 - Luís Costa

propedalar.com @ 18-6-2021 18:28:17


Clique aqui para ver mais sobre: Ciclismo, Desporto, Competições e Classificações